sábado, 14 de janeiro de 2012

Amar

Um dos meus maiores medos é o pleno esquecimento da manifestação física das pessoas que amo. Nunca fui uma pessoa com boa memória visual, mas sempre me recordarei de como elas me fazem sentir. E sonhei contigo. Sonhei contigo e tudo o que foste e és para mim não se apagou com os anos. O sonho foi apenas uma conversa, uma longa conversa, um longo diálogo em que me mostraste, uma vez mais, que a minha forma de sentir é apenas minha. E sem medos, sem pensar duas vezes, devo amar como sei amar, não quererias que eu fosse outra pessoa, que devo querer como quero e ter orgulho nisso. Não nos devemos preocupar como os outros nos amam, porque a a forma como cada um ama e sente é perfeita em si mesma, porque somos mundos dentro de nós mesmos. E eu não sou excepção. Obrigado por ocupares os meus sonhos e mostrares o orgulho que tens em mim...

3 comentários:

Ana Pena disse...

... obrigada a ti e aos teus sonhos por patilharem este diálogo... adorei...<3

Firefly disse...

Obrigado =) <3

O Lado B do Espelho disse...

Meu querido argonauta. Cuj'alma polvilhada dos brilhos dourados das estrelas. Pra ti tudo! ***