quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Meias palavras

As meias palavras são como meias laranjas. Copos meio cheios. São meias verdades que também são meias mentiras. São a minha forma de gerir a realidade. Quando as meias mentiras me apanham descalço tento-me sempre lembrar que existe uma meia verdade. Quando existe uma meia verdade sei sempre que existe uma meia mentira. Quando o copo se enche de mentiras tenho que transbordar por algum lado. Neste caso especifico a expectativa que se cria não engloba a realidade que lhe deu lugar. Este caso especifico, que também é uma lição para a vida, mostra que o dás a alguém não é o que recebes. E quando te apercebes de algo assim, quando isto te magoa de forma a que apenas dizes meias mentiras pela boca fora, é quando sabes que o equilíbrio se estabeleceu noutro lugar, noutro tempo, com outro alguém.

Apenas quem aceita a escuridão e vive nela pode ser forte o suficiente para seguir em frente. Quem tem medo dela... Coitada da pessoa que tem medo dela.

2 comentários:

Marga disse...

genial, amei o texto :) é tão verdade...

S.l.l disse...

Muito verdade!