domingo, 26 de julho de 2009

Calor

Estiveste, uma vez mais, a correr descalço nos caminhos velhos. Tens os pés cheios de feridas e terra incrustada no sangue pisado. Deixa-me lavar-te com a água fresca e doce. 'O que arde faz bem' já dizia a minha avó. Cuidadosamente aproxima-te de mim, pequena dor de sonhos. Eu trato bem de ti e, no sentido figurativo, aconchego-te o sono. Esta noite não vais ter pesadelos, passa-os para mim que já sou mais velho. Tenho demasiada experiência para saber que não os consigo afastar, que preciso de ti aqui, sem os pés feridos, sem o articular, apenas o olhar. O calor afasta os pesadelos. Vem dormir agarrado a mim. Anda até aqui.

5 comentários:

Ivete disse...

Adorei! Adorei tudo por aqui! Levo-te comigo.

Um abaraço

Rute disse...

Que texto lindo meu querido!

"Lá fora o vento nem sempre sabe a liberdade. Gente perdida balança entre o sonho e a verdade. Foge ao vazio enquanto brinda, dança e salta...Eu trago-te comigo... Mas sinto tanto, tanto a tua falta"

Firefly disse...

maravilhoso.... obrigado pelo comentário...

****

GotchyaYinYang disse...

Adorei!

Pimp disse...

Gosto da tua escrita
=)