sábado, 3 de maio de 2008

:: cumplicidade


foi um processo longo e difícil,
como sempre o são as aproximações entre duas pessoas habituadas a estarem sozinhas.
primeiro parece fácil, é o coração que arrasta a cabeça, a vontade de ser feliz que cala as dúvidas e os medos. mas depois é a cabeça que trava o coração, as pequenas coisas que parecem derrotar as grandes,
um sufoco inexplicável que parece instalar-se onde dantes estava a intimidade.
é preciso saber passar tudo isso e conseguir chegar mais além,
onde a cumplicidade – de tudo, o mais difícil de atingir – os torna verdadeiramente amantes.

Miguel Sousa Tavares


...

Um comentário:

Pérola disse...

As coisas correm bem quando as pessoas gostam uma da outra, se aceitam e se respeitam. Sim, e a cumplicidade é muito importante.