domingo, 8 de maio de 2011

Valores

Por vezes sinto-me extremamente irritado por não conhecer uma música, a Música, antes de passados vários anos de ter sido lançada. Penso para os meus botões e pássaros como seria se a tivesse ouvido naquela altura. Teria acesso a instrumentais? Demos? Videos ao vivo, ou estúdio? Videos promocionais? Teria todas as facetas, pedaços, tijolos com que foi construída... Mas depressa chego à conclusão que não. Porque só agora é o momento para realmente a apreciar. A Música. Não necessito saber como foi construída, ouvir o instrumental. Ela chegou onde chegou pelo seu passado, pela sua história, pela sua evolução, e portanto só tem sentido ser apreciada no seu estado máximo: o presente. Mas porque será tão errado querer estar nesse momento inicial, em tudo o que a levou até mim neste instante? Dicotomia da vida. Se lá tivesse estado, nunca lhe daria tanto valor como lhe dou agora, neste instante... Mas quero... Mas não...

O valor máximo de algo é aquele que lhe damos no presente.

3 comentários:

Rute disse...

É sempre pena é quando há um valor que alguém destroi corrompendo-o no futuro... But still.. O valor pessoal mantêm-se.

Pedro José disse...

Esse último pensamento é tudo! <3

O Lado B do Espelho disse...

Há muito boa gente que sabe lá o que isso é. Lol.

"Let's have a black celebration.
I drink to that!"