domingo, 4 de outubro de 2009

Vicio

Não é segredo para ninguém que eu vivo com base em ilusões. As ilusões que crio ajudam a passar o tempo, a não pensar demasiado, a contar pequenos contos, e dar voltas aos meus próprios sentimentos de forma a conhecer-me melhor. Apesar das ilusões serem como uma trepadeira linda , elas também são venenosas. O cuidado parece ser pouco ultimamente. Os pensamentos atulham-se na minha obsessão, o ossos estalam em gritos estridentes, as verdades vêm ao de cima, as minhas ilusões podem ser descritas como os amores anorécticos. O tremer das mãos, a falta de nutrição, olhos cravados, olheiras negras e sorriso amarelo.
Eu até estava a ser um bom rapaz ao fugir dos meus próprios pensamentos... E agora tudo se atulha. E encontrei um remédio. E como todas as drogas, primeiro gosta-se, depois vicia-se, depois é o pesadelo. E eu preciso de ti agora, de qualquer forma, porque nenhuma droga me satisfaz...

3 comentários:

Ana Pena disse...

Eu faço o mesmo com as ilusões e a histórias que imagino na minha cabeça...primeiro sabe bem, depois dá jeito, e por último já fede!!
Espero que essa pessoa esteja rapidamente contigo para te apertar com força!!! eu daqui aperto-te! abraçinho!!! beijo*

Adomnán disse...

O Homem vive de ilusões; a nossa sanidade mental só resiste a pequenas doses de realidade aplicadas durante curtos períodos de tempo...

Nébula disse...

As ilusões que são trepadeiras,as drogas... concordo plenamente.Belo texto =)