quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Borboleta

Já sentia saudades de tracejar as asas de uma borboleta, calmamente com a ponta dos dedos. Ela não queria parar quieta nas minhas mãos. Perfeitamente quieta e estilizada. Algumas coisas não são exactamente como as queremos. Algumas esperanças surgem sem darmos conta.

Uma borboleta apenas... 
Duas em cada mão. 
Três a voar. 
A quarta parada a olhar.

A esperança seria outra, não seria a justa.
As duas das mãos estão demasiado perto.
A terceira que voa, nem eu sei para onde vai.
A quarta. És tu.

4 comentários:

Adomnán disse...

Isso é muita borboleta :P Mas gostei do texto :D

GotchyaYinYang disse...

:)

Anônimo disse...

A sharp gentle one stays put on your shoulder. Quiet and steady, will never be noticed. Yet, will always be there smiling at you.

Firefly disse...

Thank you =D