terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Caminhos (nao completo)

Durante muito tempo eu tentei. Tentei ser algo que não sou. Tentei ser uma luz para mim próprio. Quando me sentia perdido pensava e acreditava que teria sempre força para continuar em frente, independentemente do quanto me doesse. Encontrei depois, mais tarde a luz que não estava dentro de mim, pois eu era apenas um espelho do que via por fora. Deixou de me magoar, secretamente, essa  falta de luz, porque me senti amado. E nasceu uma luz em mim. Uma cor que mudava dentro de mim, um mundo que finalmente girava em mim. Foi nessa altura que comecei a respirar, como uma semente que germinou.


Respirei fundo uma, duas vezes. Entrei em mim, conheci-me finalmente nesse instante. Emoções transbordaram de mim. Se apenas eu fosse um pouco mais inteligente.


Depois tudo mudou. Mudou a minha perspectiva de vida, mudou o meu olhar, mudou o meu ser. A diferença instalou-se no meu caminho. Um caminho percorrido por mim.


E agora. Agora sei quem quero ser. Sei que não o posso atingir. Mais um ano, digo-me a mim próprio. Vamos ver o que corre, como corre. Longe fisicamente, mas sempre junto ao coração...

5 comentários:

GotchyaYinYang disse...

:) Vamos ver vamos ver! À descoberta!

R. disse...

A resposta está no teu e-mail, porque não é de todo pública.

Rute disse...

Podes sempre ser o que quiserdes meu querido!

E essa luz que procuras está dentro de ti. Esse negativisto não te fica bem! Pois todo tu és luz! Por vezes luz negra, mas igualmente bela.

Bora para a praia com vodka?

Firefly disse...

Tu nem sabes as saudades k sinto disso... Merda...

Nebula disse...

e quantas vezes uma pessoa não passa por esse processo que tão bem descreves'te?
Já experimentei em mim um sem fim de vezes e ainda continua...

A luz sempre será encontrada, as mudanças e perspectivas são sempre contantes...