sábado, 15 de março de 2008

Um dia, talvez. Um dia acreditei. Agora sei que afinal, eu simplesmente devia esquecer. Porque um dia acreditei que talvez, talvez. E agora, enquanto eu digo adeus a cada segundo eterno, pior é a dor que sinto. E acredito. Acredito que simplesmente deixei de existir para ti. Sob todas as formas. Felizmente um de nós não está assim. Felizmente sou eu o sacrificio.

5 comentários:

Rute disse...

Não acredito em metade do que aqui escreveste. Isso são as feridas a falar. E o que é escrito por elas é tingido por sangue e nunca se consegue ler com verdade.

Verás, verás que enganado estás. Nem tudo é perfeito, é verdade. Mas tempo melhor virá e esse pano preto levantar-se-á.***

GotchyaYinYang disse...

Acreditas mesmo naquilo que dizes?

Que deixaste de existir sob todas as formas para essa pessoa?

Ou dizes tal coisa por estares magoado?

A única coisa que posso dizer-te é que todos temos formas diferentes de sentir e demonstrar esses sentimentos. E temos de aceitar isso como acções válidas...

Adoro-te muito e espero que o tempo ajude. Mesmo. Porque sei que custa, mas também sei que não vale a pena gerar raiva...

Beijinhos grandes!

Rita disse...

És mesmo extraordinário, TU!

Pérola disse...

Bonito o que escreves.

Mas acredita que tudo passa. Um dia a tua vida terá outro sentido. Dá-te uma oportunidade.

Bom fim-de-semana!
Bjs.

xtr3m disse...

O problema é acreditar...*